sexta-feira, 6 de julho de 2007

Dado, você pode cantar.

"Você pode cantar, Dado." Esse foi o conselho da cantora Cecília Spyer para o guitarrista vencer sua timidez e soltar a voz na nova fase da sua carreira. Dado Villa-Lobos, guitarrista da insuperável Legião Urbana, lotou o Bar do Zira no terceiro andar da Livraria Letras & Expressões de Ipanema, que ficou bem pequeno para o público presente e para a grandeza do show.
Confesso que demorei um pouco para notar esse trabalho do Dado, pois não levo muita fé nas coisas produzidas pela MTV. A emissora tem um perfil muito adolescente e erra mais do que acerta nas produções. Quando fui ver, o cara já estava fazendo show por aí. Peguei uma participação dele no show dos Paralamas no Circo Voador no final de 2005, quando o disco do Dado já estava pronto, mas não tinha deslanchado. Baixei o disco no site dele e gostei. Nesse show de ontem, começou com uma voz tímida cantando suas canções e foi se soltando aos poucos, para terminar como se estivesse tocando na sua própria garagem (no bom sentido). Dado sempre foi um guitarrista criativo. Econômico porém eloquente em suas composições com a guitarra. Empunha sua telecaster com segurança, mas agora divide os riffs com os vocais, o que dá espaço para o outro guitarrista da banda, que tocou violão e gaita ao mesmo tempo a la Bob Dylan.
Eu estava ali no gargarejo, com os pés no palco, praticamente atrapalhando a banda. Muitas participações realmente especiais. Começando pela cantora Cecília Spyer, que entrou num momento ainda morno do show. Foi bem tecnicamente mas não empolgou. Rodrigo Santos, cantando "Geração Coca-Cola" versão lenta, esquentou e o show embalou com Dado bem humorado e à vontade. Veio Toni Platão trazendo uma bandeirinha do Fluminense, segundo o Dado para comemorar a Copa do Brasil. O Toni dispensa comentários. Cantou "Tudo Que Vai" e uma da Legião (acho que foi "Há Tempos").
Fausto Fawcett cantou "Beleza Americana", a música é mais uma parceria dele com o Dado. É aquela que tem a parte "Disney" da letra que fala dos sobrinhos do Patológico: euzinho, egozinho e myselfzinho. Depois Toni Platão juntou-se novamente a eles no palco, formando o trio tricolor, para cantar "Calígula Free-Jack".
Paula Toller chegou mais tarde vindo direto de São Paulo. Como disse o Dado: relaxou e gozou... e conseguiu chegar, para cantar "Pane de Maravilha", uma canção do disco novo dela, também uma parceria com o Dado e o Fausto Fawcett.
No bis, resolveram cantar mais uma, mas ficaram na dúvida do quê cantar. Entre "Índios" e "Conexão Amazônica", quase convenço a banda a tocar "Conexão", mas Dado achou muito pesada para o horário pois poderia acordar a velhinha que mora no prédio ao lado. Alguém sugeriu chamar a velhinha para o show, mas acabou rolando "Índios" na versão original (elétrica). Interessante foi a cola da letra que o Dado usou, apenas com trechos dos versos da música.
Bom show. Dado dá um tratamento adequado ao legado da Legião. Poderia ter tocado as músicas numa outra ordem, mesclando mais as novas com as velhas para deixar o show com um pique mais homogêneo. Eu deveria ter assistido mais vezes, mas só vi esta última apresentação. Estava planejando ir quando fui convidado por amigos. Definitivamente não foi tempo perdido. Na próxima temporada do Dado Villa-Lobos estarei lá.

5 comentários:

Anônimo disse...

Adorei ter ido nesse show. Emocionante ver Dado Villa-Lobos assim tão de pertinho, uma das estrelas do Legião tão sem estrelismo, que cativa e dá saudade daqueles tempos... As músicas de sua carreira solo são legais, mas a tal parceria dele com a Paula e o Fausto resultou numa musiquinha muito medíocre para nomes de peso como os deles, não gostei!

Marco Ermida Martire disse...

Fala, Ogro. Hahaha! Como é que eu ia saber que era vc, maluco! Tá bacana esse blog. Ficou boa a resenha, eu que não entendo porra nenhuma de música gostei. Vou botar nos meus favoritos, pra ver se eu começo a entender alguma coisa... Abraço!

Tatiana Kauss disse...

Vc sabe se o cd solo dele já foi lançado ou qual é a previsão?

Ogro disse...

Já saíram 2 CDs.
MTV Apresenta: Jardim de Cactus - ao vivo (CD e DVD)
Jardim de Cactus (estúdio) - esse segundo está disponível para download no site do Dado Villa-Lobos http://www.dadovilla-lobos.com.br e foi lançado pelo selo do Dado, Rockit!

Pedro Igel disse...

Assisti o show e só percebi que o Toni sentou na mesa quando ele cutucou meu ouvido e deu aquele sorrizinho típico dele. Depois levantou e saiu para dar sua canja. Achei a voz do Dado com pouco reverb e o volume do teclado meio baixo. O Rodrigo
cantou com entusiasmo e na pressão; com vontade!
Interessante a concepção da Banda.
Valeu ter ido, me chame para outros.